top of page
Buscar
  • Foto do escritorEditora Pedregulho

Carla Rocha lança livro sobre tema tratado como tabu

O livro “Caixinha de Lembranças” narra a passagem por estágios do luto


Para a autora, a conscientização a cerca do suicídio desencadeado por transtornos mentais, como a depressão decorrente de perdas abruptas, é tão necessária quanto trazer o tema do “luto” de forma responsável para ambiente literário.


De acordo com a organização da campanha oficial do Setembro Amarelo 2022, mais de 13 mil suicídios são registrados no Brasil todos os anos e mais de um milhão são registrados em todo o mundo. Destes casos, cerca de 96,8% estão relacionados a transtornos mentais, sendo em primeiro lugar a depressão, em segundo o transtorno bipolar e em terceiro, o abuso de substâncias.


Sabendo da importância da conscientização acerca dos transtornos mentais, a jornalista e escritora Carla Rocha está lançando a sua segunda obra, intitulada “Caixinha de Lembranças'', pela editora Pedregulho no mês de setembro. O objetivo deste livro, que já está em pré-venda no site da editora, é mostrar como a escrita e a literatura podem ser grandes aliadas na hora de trazer luz ao tema que, muitas vezes, é tratado como um tabu, para rodas de discussões sobre depressão e conscientização acerca do suicídio no Brasil, sobretudo entre a população mais jovem.


Temas como perda, luto e depressão fazem parte das vivências da autora e, consequentemente, acabam refletidos em sua escrita. Não seria diferente nesta obra, em que os contos escritos em primeira pessoa narram a trajetória de quem transita por uma montanha russa de sensações vividas durante a perda de alguém, não necessariamente para a morte, mas para o fim de um ciclo, seja de um relacionamento romântico, do contexto familiar ou afetivo.


"Muita gente acha que o luto é só quando uma pessoa morre, mas podemos experimentar sensações angustiantes quando morremos para o outro em vida ou quando não temos mais aquela pessoa no nosso convívio. Isso vale para todos os tipos de relacionamentos”, destaca. Quando esse rompimento de laços acontece de forma abrupta e sem o mínimo de responsabilidade emocional e afetiva, acaba criando gatilhos que geram sintomas muitos semelhantes aos relatados por quem sofre de Transtorno de Estresse Pós Traumático (TEPT) e que, se não for tratado corretamente, pode gerar traumas carregados por toda uma vida.


Dentro desse contexto, a pessoa também pode apresentar sintomas que são comumente associados ao TEPT, como lembranças persistentes - reviver involuntariamente o trauma através de memórias angustiantes e repetitivas, pesadelos ou sensação de que o evento traumático está acontecendo novamente (“flashbacks”). “Sair desse ciclo pode se tornar muito desafiador sem o apoio de um profissional especializado e, por isso, a conscientização é tão necessária quanto trazer esse assunto para o meio da literatura”, complementa.


Claro que, parte disso, é consequência das próprias expectativas que depositamos sobre o outro, das quais não temos controle nenhum, mas tais sentimentos - se não forem bem trabalhados internamente - podem desencadear um turbilhão de emoções, e podemos passar pelos mesmos estágios do luto descritos pela psiquiatra suíço-americana, Elisabeth Kübler-Ross: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. O livro “Caixinha de Lembranças” narra a passagem por cada um desses estágios de forma muito intensa, mas ao mesmo tempo sensível.



Sobre o livro Caixinha de Lembranças

Ninguém está preparado para o fim e, depois dele, precisamos unir os cacos e encontrar um novo caminho para seguir solo. Partimos em uma jornada solitária rumo à nossa mente que vira e mexe traz à tona várias lembranças do que foi e daquilo que poderia ter sido, assim como fantasmas a nos assombrar. Ao revisitar essas memórias vamos nos redescobrindo e nos superando a cada dia em que caminhamos por uma montanha russa de sentimentos que permeiam lágrimas, lembranças, dor, aceitação, resiliência, superação e, por fim, o perdão.


Capa comum

Edição: 1ª (2022)

Formato: 13x19cm

Páginas: 80


Sobre a autora Carla Rocha

Carla Rocha nasceu em 04 de outubro de 1987, em Mateus Leme, Minas Gerais. Seu amor pela escrita a salvou de todas as formas possíveis e, por isso, escreve, para que outros possam ter a mesma sensação de amparo e acolhimento que as palavras lhe trouxeram. Vive em São Paulo, onde se formou em jornalismo pelas Faculdades Metropolitanas Unidas, teve seus textos publicados em grandes portais de relacionamentos como Superela, O Segredo, Resiliência Magazine, entre outros. Já publicou “Um brinde aos amores reais” (Viseu, 2019) e Caixinha de Lembranças (Pedregulho, 2022) é o seu segundo livro. E-mail: carlarochajo@gmail.com



Sobre a Editora Pedregulho

A Pedregulho, que iniciou suas atividades em Vitória (ES) em 2013, é plural e trabalha a diversidade em todas as suas formas. Deseja que minorias sejam colocadas em destaque, produzindo e lançando textos, blogs, livros e toda forma de manifestação artística. A Editora Pedregulho tem como maioria, em seu catálogo, livros de autores iniciantes e a equipe é composta em sua maioria por mulheres dedicadas à criação de obras únicas e diversas. Para mais informações, acesse: https://www.editorapedregulho.com.br/


Sobre o Setembro Amarelo

A campanha Setembro Amarelo acontece todos os anos no mês de setembro e se destina a todos, como uma forma de conscientização sobre o suicídio e transtornos mentais, ajudando a desmistificá-los através da informação. A proposta é conscientizar o maior número de pessoas possível sobre questões que envolvem o suicídio e os transtornos mentais, apresentando formas de prevenção. Durante todo o mês de setembro, são realizadas atividades em diversos locais, desde postos de atendimento de saúde públicos, escolas, empresas do setor privado e público, entre outras. Para maiores informações, acesse o site oficial: https://www.setembroamarelo.com/.

68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page